Colunistas
 
 
 
 
Coexistir - 14/03/2014
 
Percebendo a importância da natureza faz-me pensar como somos irresponsáveis. Eu não sou reacionária, elitista, socialista, coisa alguma. Nem feminista sou. Apesar de não fazer vista grossa aos assuntos recorrentes no que tange o universo feminino em sua essência, e, na defesa dos abusos a ele... O que penso agora, é quão irresponsáveis somos. Quanto a nós mesmos, e quando a natureza que nos cerca. Eu ainda crio gado, como carne vermelha, branca. Estou longe de ser vegana, vegetariana e tenho assumido mesmo meus erros nesse crescimento em que me encontro.
Mas não sou radical. Tenho muito a aprender. Me esforço. Confesso que torço nariz às pessoas que vivem postando proteção aos animais nas redes sociais e tem feito coisas horríveis ao próprio ser humano.
Tenho me isolado na paz da minha casa. Das minhas casas, a de dentro e as de fora. Tenho conseguido perceber ainda muito mais o que temos feito uns aos outros. E não é pouco. Pode ser engraçado pensar assim, mas sinto como se minha casa fosse um organismo vivo, que precisa de cuidados de tempos em tempos. É claro, toda casa requer manutenção, mas estou falando de um tipo específico de reparos, que é dado pelo próprio morador.
Fico tranquila, pois tenho me exercitado na arte, de não apenas “existir”. Coexistir é uma relação difícil. Requer retroceder, para que outros possam avançar e mostrar seus pontos de vista.
Nossa casa é nossa terceira pele, e reflete um pouco a maneira como nos relacionamos com o mundo. Pensá- la como uma bioconstrução e cuidar dela com as próprias mãos é algo que tem a qualidade de imprimir carinho e dedicação que nem a mais eficiente empresa de construção conseguiria reproduzir. Refazemos caminhos, procuramos ajuda psicológica, afastamos o “empurrar com a barriga” e assumimos posturas.
Nem que saiam lascas.
Como nossa casa, temos paredes com imperfeições, não viemos com manual de instruções e doar e receber, é a aceitação das coisas imperfeitas. Já paredes herméticas, impermeáveis, lisinhas, absolutamente iguais, revelam uma vontade de segurança que flerta com um desejo de distanciamento… E somos assim. Erguemos muros a nossa volta quando nos convém. Coexistir é habitar nossa imperfeição assumindo quem somos para nós e o mundo. Nossas casas caem, as paredes são derrubadas pelo tempo... E não devemos ter receio de ver trincas, rachaduras, pedaços com tinta descascada. São marcas do tempo, assim como nossas rugas, manchas e outros sinais de uma vida vivida em interação com tudo aquilo que está à nossa volta. E saber que eu mesma posso, a qualquer momento, dar uma repaginada na casa, é algo formidável.
Minha geração veio de outra geração, em que era de bom tom não falar, não derrubar muros, não ousar, deixar quieto... E nós derrubamos todos os muros possíveis. Minha geração fez isso e não teve estrutura para segurar muita coisa. Somos de uma geração que veio daquela que se “matou de tanto trabalhar”, herdamos o conforto, e o sedentarismo. Herdamos manias, e fomos confrontados pela intensa criatividade do ser que transformou tudo em botões “IN” e “ OFF , não fomos preparados para essa avalanche de conhecimento ao qual fomos brindados.
Nossos filhos e netos mostram desenvoltura ao se mesclar com toda essa tecnologia.
Enquanto minha geração repara muros com terapias, a nova esbalda-se em conhecer novas fronteiras. Reparo muros internos aprendendo que existir é uma coisa de nossos pais, e coexistir é responsabilidade nossa e legado aos nossos filhos...
Torna-se difícil coexistir querendo ser mais saudável, com todo esse consumismo nos consumindo. Ligando a TV e vendo todos os apelos para a saúde e, por debaixo dos panos para a falta dela- essas cobranças nos devorando!
Sei que meus filhos e meu genro serão ótimos pais... mas como lidar com a turma do “Lepo Lepo”? Meus netos serão educados, com certeza... mas desenvolverão a habilidade que a vó deles não teve em aprender a precocemente dizer “não” ao que é invasivo.
E cheguei à conclusão que nem no meio do mato, nos isolando, no meio do deserto nós podemos apenas “ existir”. Temos que interagir, deixar de resistir, nos focar, tomar posições... aprender a nos restaurar, nos posicionar para então, sobreviver. Pense nisso com carinho!
Um beijo na palma da mão!
 
Outras colunas deste Autor
Acessibilidade - 05/09/2014
O óbvio que negamos - 18/07/2014
A morte lenta da geração mais nova da internet - 04/07/2014
A Mestra com carinho - 06/06/2014
Sem pressa - 23/05/2014
“Da fome das mulheres e da loucura da braba, por Lélia Almeida.” - 16/05/2014
Lagoa Clandestina - 09/05/2014
A alma Imoral - 25/04/2014
Se eu morresse amanhã... - 18/04/2014
Meditar é preciso, viver não é “preciso” - 18/04/2014
“ Da Leveza de todas as coisas...” - 11/04/2014
A Escola Normal Rainha da Paz foi um marco da minha geração - 04/04/2014
Coexistir - 14/03/2014
A gente faz vista grossa - 07/03/2014
As pequenas coisas - 31/01/2014
 
   
publicidade - anuncie
   


Joel Anzolin Muliterno
Advogado


Oscar Menna Barreto Grau
Médico Veterinário


Luciano Andrade

Outros Colunistas (...)
Ibiraiaras na Assembleia do COREDE NORDESTE
COMUDES de Ibiraiaras, tendo à frente o presidente Sérgio Baldasso, participou quinta-feira, 20, da Assembleia do COREDE NORDESTE realizado na cidade de Sananduva. A Assembleia definiu os projetos en (...)
Grupo AGATI participa de mais um encontro realizado pelo CRAS
Na tarde de terça-feira (18), a equipe do CRAS reuniu-se com o grupo AGATI do bairro Rodrigues. No encontro foi aplicada uma dinâmica relacionada a doenças e, para finalizar, uma mensagem incentivando (...)
Estadual Sub 20: Lagoa Futsal 5 x 3 São José do Inhacorá
A equipe do Sub 20 do Lagoa Futsal, no domingo, 23, a partir das 14 horas, no Ginásio Adolfo Stella, recebeu o São José do Inhacorá. A equipe treinada por Daniel Bonez venceu pelo placar de 5 x 3. Ass (...)
Em Cerro Branco, Lagoa Futsal empata com a ACBF
Após vitória frente ao Parobé, jogando no Adolfo Stella, quando venceu pelo placar de 8 x 2, o Lagoa Futsal voltou a atuar fora de casa, desta vez em Cerro Branco, quando enfrentou a ACBF. O Lagoa Fut (...)
Sub 20 do Lagoa Futsal tem partida decisiva neste domingo, 23
No treino desta semana, o Sub 20 do Lagoa Futsal se prepara para o jogo de domingo, 23, às 14h, em Lagoa Vermelha, no Adolfo Stella, frente São José do Inhacorá. A partida é válida pelo estadual da (...)
 
  Página Inicial | Contato | Empresa | Lagoa Vermelha

Simples.net Solucões Inteligentes