Colunistas
 
 
Laura Helena Pacheco Roman
Professora
fazendadaraia1942@gmail.com
 
 
A alma Imoral - 25/04/2014
 
Reli a “Alma Imoral” do Rabino Nilton Bonder. Um livro que todas as professoras deveriam recomendar para alunos e Pais. Para Administradores, médicos, advogados, professores e todas as pessoas enfim.
O autor, um jovem rabino fala nas transformações necessárias para tirar o país, e o mundo do Caos. Como sair do caos particular, assumindo os ditames de nossa alma. Nem falemos da violência, que é ocasionada, incitada pela grande insatisfação que nos assola...
Fórmulas mágicas não existem, mas entendo como a simples utilização de regra de 3. Quase ninguém usa, mas quem não sabe está em apuros quando precisa. Assim somos nós Brasileiros na minha humilde opinião. Sabemos onde estão a maioria dos erros. Mas continuamos errando. É mais cômodo é mais tranquilo, e não nos incomodamos. Impera ainda, a Lei do Gérson. Vergonhosa Lei, que se instaurou na nação e ainda não foi extinta por nenhum Decreto. Muito menos de Foro íntimo. Vemos hoje, Homens com poderes usando sua força, ou a força de sua caneta com arrogância. Desumanamente. Não temos fórmulas prontas, segundo o rabino... mas temos passos iniciais, que são obviamente esquecidos.
Para mudar um país é preciso mudar primeiro a cabeça de seus habitantes. Para mudar a cabeça dos habitantes, teremos que mudar a Educação. Para mudar a Educação temos que mudar a Política. Para mudar a Política temos que formar bons políticos. Para mudar e formar bons políticos precisamos de Educação. Uma bola de neve, ou como falariam no Talmud , livro sagrado dos Judeus:
- A cobra comendo o rabo para renascer. Para que algo renasça tem que morrer.
A natureza é sábia. Nós, humanos é que poderíamos usar melhor nossa parcela de Inteligência emocional, e intelectual. O Intelecto é o conjunto de forças que compõe o homem e seus pensamentos. Sabemos que o pensamento é capaz de mudar um homem.
O homem, jamais será mudado pela força.
Está na hora de mudar nossos hábitos, nosso país. Está na hora da ação. Da ação comunitária, do pensamento coletivo. Neste “oba oba” de ano de Copa do Mundo, onde questões básicas como saneamento são deixados de lado, imagine-se o estrondo do caos no ano que vem. Sem sustos.
Não tome como premunição, ao contrário do que alguns pensam, não sou a “mulher que vê Búzios”. Não precisa nem ser vidente para imaginar o Caos que serão os transportes aéreos e terrestres, o rombo que ficará quando o “povo” se revoltar de verdade e ver, sentir na carne que não adiantaria levar seus doentes para os novíssimos estádios de futebol. Precisamos de saneamento básico, educação, hospitais e gente que queira aprender a trabalhar. Mas trabalhar de verdade. Falta mão de obra em todo o Brasil! O povo está se contentando em remendar a alma com misérias. Humanas e “esmolas” dos Governos.
Está na hora da ação. Nossa alma está “remendada” como fala tão bem o rabino Nilton Bonder em a “A Alma Imoral”. E ele diz: “Os brasileiros devem investir numa alma sem remendos, deixando de adotar os jeitinhos e assumindo de vez suas responsabilidades. Concorda que existe uma grave crise e cita o risco do ceticismo em vigor. O autor lembra uma história milenar para mostrar os perigos do individualismo levado a extremos. Um homem começou a fazer um buraco no barco onde estava; os outros passageiros reclamaram mas o sujeito retrucou, dizendo que ninguém tinha nada a ver com isso, afinal fazia o buraco debaixo do próprio assento. Alguns ensinamentos judaicos, muito antigos, servem para esclarecer certas questões e não para jogar mais culpa nas mentes perdidas. Bonder avisa que as pessoas que se parecem muito boazinhas podem ser tão perigosas quanto aquelas que se mostram liberais ou humildes. O ponto não é esse. Os brasileiros andam oscilando entre a atitude ingênua e a perversa, uma situação que valoriza as ações espertas, safas mas nada sábias. Nilton Bonder destrincha o ditado o crime não compensa. Para ele, não se trata de um valor, mas de uma crença que deveria ser questionada e aprimorada o mais rápido possível. Ao invés da idéia de compensação, o crime, na verdade, descompensa uma sociedade, porque há uma ligação profunda entre tudo e todos. A contradição está no cotidiano. Enquanto milhares de pessoas lutam para receber o mínimo, alguns roubam - e muito - com a maior facilidade. Elas podem até pegar alguns anos de prisão, mas será um prazo mínimo, o que fará com que a sociedade acredite que, de fato, o crime compensa.
É contra essas e outras espertezas que também me coloco. Por isso espero, torço e rezo muito para que o Brasil não fuja à luta. É preciso estar preparado para rever tudo, ou o povo vai pagar um preço muito alto. Não adianta pensar que se trata de justiça pessoal, mas algo bem mais amplo. Temos que fazer uma revisão dos 10 mandamentos, não como um catálogo de culpa, mas apenas para ver o quanto estamos á beira do caos... “Onde não há punição, há impunidade.” Pensando em encontrar uma perspectiva ética e moral para a sociedade, é que concordo com Nilton Bonder que a única saída é educacional. “O nosso herói deve ser o mestre e não o médico, o sacerdote, o juiz ou o guru. D’us [é assim que o religioso se refere a Deus] só existe na educação, assim como a moral e a fraternidade. O bem-estar de um depende do bem estar do todo”,
O nosso poder é o voto. Não é o poder de barganha de uma pessoa, um candidato ou de um partido... Se esse é o ano de mudanças... que arrumem um grande caminhão para colocar em cima, aqueles que só estão atrapalhando o Brasil... Mas não esqueça. Você, suas pequenas ações são essenciais para mudar o mundo. Comece pelo seu, comece por sua comunidade. Comece. Não diga: eu não tenho nada a ver com isso. O barco como a historinha, pode afundar se a gente não quiser ver o vazamento embaixo de nosso acento.
Pense nisso com carinho! Um beijo na palma da mão!
 
Outras colunas deste Autor
Acessibilidade - 05/09/2014
O óbvio que negamos - 18/07/2014
A morte lenta da geração mais nova da internet - 04/07/2014
A Mestra com carinho - 06/06/2014
Sem pressa - 23/05/2014
“Da fome das mulheres e da loucura da braba, por Lélia Almeida.” - 16/05/2014
Lagoa Clandestina - 09/05/2014
A alma Imoral - 25/04/2014
Se eu morresse amanhã... - 18/04/2014
Meditar é preciso, viver não é “preciso” - 18/04/2014
“ Da Leveza de todas as coisas...” - 11/04/2014
A Escola Normal Rainha da Paz foi um marco da minha geração - 04/04/2014
Coexistir - 14/03/2014
A gente faz vista grossa - 07/03/2014
As pequenas coisas - 31/01/2014
 
   
publicidade - anuncie
   


Ademar Fagundes
Jornalista e Radialista


Frei Marcelo de Carvalho


Cláudio Júnior Damin
Cientista Político

Outros Colunistas (...)
Vereador Durigon solicita informações sobre o Hospital São Paulo
Em atendimento a solicitação do Vereador Vicente Durigon (PDT), por meio de Requerimento Verbal, um ofício foi encaminhado à Fundação Araucária, solicitando que a Instituição informe o total de valore (...)
Irresponsabilidade da oposição penalizará 15 milhões de trabalhadores, alerta Ana Amélia
A promessa de líderes da oposição de que irão obstruir todas votações em protesto contra o governo penalizará 15 milhões de trabalhadores que ainda não efetuaram o saque das suas contas inativas do FG (...)
Relatório de Gestão do SUS é apresentado em São Jorge
Na última sessão ordinária do Poder Legislativo, realizada no dia 18, na Câmara Municipal de Vereadores de São Jorge, além da pauta do dia, os vereadores e comunidade presente, acompanhou a apresentaç (...)
Projeto de Marcelo Sgarbossa recebe prêmio em Porto Alegre
O vereador Marcelo Sgarbossa recebeu o Prêmio Destaque em Saúde em solenidade realizada nesta quinta-feira (18/5), na Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA) devido a Lei 12 (...)
Vereador Braulio representa Legislativo na VI Conferência Municipal da Saúde
Nesta sexta-feira (19), o Governo Municipal promoveu no anfiteatro da Casa da Cultura, a VI Conferência Municipal da Saúde. Durante o evento, foram realizadas palestras sobre proteção da criança e ado (...)
 
  Página Inicial | Contato | Empresa | Lagoa Vermelha

Simples.net Solucões Inteligentes