Colunistas
 
 
Ronaldo Santini
Deputado Estadual
ronaldo.santini@al.rs.gov.br
 
 
28/03/2014
 
Saúde
Dedico a coluna de hoje a uma reflexão sobre a situação dos pequenos hospitais do Rio Grande do Sul. Os dirigentes destes hospitais, que possuem menos de 50 leitos, e os prefeitos dos respectivos municípios, ainda acumulam dúvidas a respeito da nova política de incentivos do governo estadual e distribuição do orçamento de 2014.

Grupos 1 e 2
Em tese, até agora, todos eram hospitais gerais, com exceção de alguns que já trabalhavam suas especialidades. No entanto, a Secretaria Estadual da Saúde implantou uma resolução que separa as casas de saúde do Estado em dois grupos: o grupo 1, composto pelos hospitais gerais, ou seja, hospitais de grande porte com atendimento regional e estadual, onde há maior volume de serviços; e o grupo 2, que integra os pequenos hospitais, os quais deverão limitar os trabalhos do bloco cirúrgico apenas para procedimentos ambulatoriais e priorizando o atendimento clínico.

Opção
A opção pelo grupo 2 representa grande vantagem financeira para os pequenos hospitais. Isso pode superar os R$ 600 mil anuais, o que dá para manter as contas em dia e administrar investimentos estruturais e adquirir equipamentos. Ficar no grupo 1, realmente só é vantagem para os hospitais de grande demanda de serviços, que precisam manter profissionais em turno integral e em plantão, devido ao alto fluxo de pacientes.

Dilema
Todavia é preciso analisar cada caso de forma individual. Um pequeno hospital, com atendimento microrregional e localizada há mais de 100 quilômetros de distância de grandes centros de saúde torna-se fundamental para a população destas cidades. Desativar os serviços de média complexidade significa transferir as cesarianas e as cirurgias de apêndice, por exemplo, para os hospitais maiores, conforme encaminhamentos da Central de Regulação do Estado, submetendo estes pacientes ao desconforto e aos riscos das viagens. Dessa forma estamos gerando mais um stress para os pacientes e para a municipalidade, que precisará transportar estas pessoas e dar-lhes a atenção adequada. Por ser o presidente da Frente Parlamentar das Casas e Hospitais Filantrópicos do RS fui procurado por prefeitos e diretores hospitalares que trouxeram a seguinte reflexão: “Lutamos tanto contra a ambulância-terapia e agora o governo está incentivando esta prática”.

Desgaste
Reduzir os procedimentos do bloco cirúrgico do hospital, em muitos municípios está gerando um grande transtorno político. Os prefeitos e secretários municipais de saúde estão tendo que explicar para a população os motivos pelos quais deverão adotar esta medida, sob risco de fechamento total das atividades do hospital da cidade, devido às precárias condições financeiras. Com certeza, os municípios deverão relutar muito até aceitarem esta proposta que é uma tendência futura, pois as prefeituras não conseguirão bancar as despesas dos hospitais que optarem em continuar no modelo geral (grupo 1), com os poucos investimentos do Estado (cerca de R$ 100 mil por ano) e do Ministério da Saúde.

São Paulo
O Hospital São Paulo de Lagoa Vermelha deverá ficar no grupo 1, por seu porte estrutural e pela demanda de atendimentos, incluindo pacientes de Capão Bonito do Sul, Ibiraiaras, Caseiros e demais localidades. Porém esta amplitude deverá aumentar ainda mais, caso alguns hospitais da região venham a aderir ao grupo 2, transferindo seus procedimentos de média complexidade para nosso hospital.

Bom final de semana e contem conosco!
 
Outras colunas deste Autor
01/07/2016
27/05/2016
13/05/2016
De volta às urnas - 24/10/2014
30/05/2014
23/05/2014
16/05/2014
09/05/2014
02/05/2014
25/04/2014
18/04/2014
11/04/2014
04/04/2014
28/03/2014
14/03/2014
 
   
publicidade - anuncie
   


Jaine Cerioli
Psicopedagoga Clínica


Terezinha do Carmo
Pedagoga


Frei Marcelo de Carvalho

Outros Colunistas (...)
Feriado Municipal é transferido para o dia 15 de maio
A Prefeitura Municipal de Lagoa Vermelha informa que no ano de 2017, conforme prevê no art. 4º, da Lei Orgânica Municipal, o feriado municipal que ocorreria na quarta-feira, dia 10 de maio, foi transf (...)
Prefeitura abre vagas para professores de ciências e matemática
A prefeitura Municipal abriu processo seletivo simplificado para a contratação de professores para atuarem no ensino municipal, sendo três vagas para professores de Matemática e uma vaga para professo (...)
Lagoa Vermelha está sem agência do IPERGS, cobra vereador
O vereador Braulio Guedes encaminhou requerimento através da Câmara de Vereadores para que o Poder Legislativo solicite explicações para o Governo do Estado, sobre o fechamento da Agência do Instituto (...)
Extensão acadêmica em debate na UPF
Buscando qualificar o ensino, a Faculdade de Medicina da Universidade de Passo Fundo (FM/UPF) realizou, na terça-feira, 18 de abril, uma mesa redonda para discutir e promover a extensão universitári (...)
Vereadora Ruth participa da Conferência Municipal em Saúde das Mulheres
Nesta quarta-feira (19), a vereadora Ruth Bussolotto (PP) participou da Conferência Municipal em Saúde das Mulheres, realizada na Casa da Cultura. Durante o evento foram abordados os seguintes temas: (...)
 
  Página Inicial | Contato | Empresa | Lagoa Vermelha

Simples.net Solucões Inteligentes