Colunistas
 
 
Mariluci Melo Ferreira
 
 
Contestado: Caboclos em guerra - Parte III - 10/06/2016
 
Entre os anos de 1912 e 1916 milhares de caboclos foram dizimados pelas forças governamentais na região do Contestado, área fronteiriça disputada por Santa Catarina e Paraná. Depois de quase três anos de conflitos, cerca de 9 mil militares e civis, entre mortos, feridos e desertores desapareceram nos campos de batalha da Guerra do Contestado que deixou um rastro de sangue numa área de 15 mil km².
Em 1906 começou a ser construído um trecho de 372 Km da ferrovia que ligaria Itararé (São Paulo) a Santa Maria (Rio Grande do Sul). Como as obras estavam vagarosas o governo federal terceirizou o empreendimento e o americano Percival Farquhar comprou a concessão federal para a Brazil Railway Company. Atraído pela riqueza florestal da região contestada, cortada pelas ferrovias, o mesmo Farquhar instalou a grandiosa serraria Southern Brazil Lumber & Colonization para exploração da madeira da floresta de araucárias. A empresa adquiriu milhares de hectares de terras de forma fraudulenta. Escrituras expedidas pelo Paraná continham registros de terras em duplicata em Santa Catarina. Imóveis eram transferidos como terrenos devolutos a fazendeiros e políticos paranaenses e catarinenses. A época era do coronelismo e essas práticas ilícitas eram corriqueiras. Confusões armadas ocorreram entre os fazendeiros dos dois estados. A partir de 1912, o corpo de seguranças da Lumber começou a atacar os sertanejos do interior das matas, expulsando-os e provocando a ira cabocla, também revoltada pelo abate indiscriminado dos pinheiros. Os caboclos recorreram a sua religiosidade para lutar. Na falta de padres católicos, os sertanejos buscavam conforto espiritual nos monges e curandeiros que peregrinavam pela região, entre eles José Maria, que surgiu em Campos Novo. Morto em 1912 no Irani, José Maria continuou vivo na memória dos seus seguidores, em especial, no fazendeiro Eusébio Ferreira dos Santos e sua neta Teodora, na época tida como vidente. Ambos anunciaram a promessa da ressurreição de José Maria. A notícia logo espalhou-se, atraindo a população mística que se concentrou e se organizou na forma de acampamento religioso, a “cidade santa”. O governo de Santa Catarina, que os via como um bando de fanáticos, usou a força do Exército para dissolvê-los. Conflitos sangrentos ocorreram em Taquaruçu, Canoinhas, Curitibanos, Perdizinhas e Butiá Verde, e margens do rio Timbó. Depois de 4 anos de perseguições e de grande mortalidade, o movimento da região do Contestado foi desfeito. A fronteira entre o Paraná e Santa Catarina foi finalmente demarcada e o poder dos coronéis no interior foi consolidado.
 
Outras colunas deste Autor
01/07/2016
Tradições indígenas e europeias na origem das festas juninas - 24/06/2016
Grande oriente do brasil - 194 anos de história - 17/06/2016
Contestado: Caboclos em guerra - Parte III - 10/06/2016
Contestado: Caboclos em guerra - Parte II - 03/06/2016
Contestado: Caboclos em guerra - 27/05/2016
Um quarto de século... - 20/05/2016
Impeachment na história - 13/05/2016
Enfim, a emancipação de Lagoa Vermelha - 06/05/2016
Dia do trabalho na história do Brasil - 29/04/2016
Tiradentes: de líder rebelde à Patrono da Nação - 22/04/2016
Liberdade ainda que tardia - 15/04/2016
“Vem chuva?” História da meteorologia no Brasil - 08/04/2016
Quando uma campanha de vacinação virou caso de polícia - 01/04/2016
As fronteiras do Brasil e o legado de Rio Branco - 25/03/2016
 
   
publicidade - anuncie
   


Joel Anzolin Muliterno
Advogado


Victor Hugo Muraro Filho
Advogado


Frei Marcelo de Carvalho

Outros Colunistas (...)
Ibiraiaras na Assembleia do COREDE NORDESTE
COMUDES de Ibiraiaras, tendo à frente o presidente Sérgio Baldasso, participou quinta-feira, 20, da Assembleia do COREDE NORDESTE realizado na cidade de Sananduva. A Assembleia definiu os projetos en (...)
Grupo AGATI participa de mais um encontro realizado pelo CRAS
Na tarde de terça-feira (18), a equipe do CRAS reuniu-se com o grupo AGATI do bairro Rodrigues. No encontro foi aplicada uma dinâmica relacionada a doenças e, para finalizar, uma mensagem incentivando (...)
Estadual Sub 20: Lagoa Futsal 5 x 3 São José do Inhacorá
A equipe do Sub 20 do Lagoa Futsal, no domingo, 23, a partir das 14 horas, no Ginásio Adolfo Stella, recebeu o São José do Inhacorá. A equipe treinada por Daniel Bonez venceu pelo placar de 5 x 3. Ass (...)
Em Cerro Branco, Lagoa Futsal empata com a ACBF
Após vitória frente ao Parobé, jogando no Adolfo Stella, quando venceu pelo placar de 8 x 2, o Lagoa Futsal voltou a atuar fora de casa, desta vez em Cerro Branco, quando enfrentou a ACBF. O Lagoa Fut (...)
Sub 20 do Lagoa Futsal tem partida decisiva neste domingo, 23
No treino desta semana, o Sub 20 do Lagoa Futsal se prepara para o jogo de domingo, 23, às 14h, em Lagoa Vermelha, no Adolfo Stella, frente São José do Inhacorá. A partida é válida pelo estadual da (...)
 
  Página Inicial | Contato | Empresa | Lagoa Vermelha

Simples.net Solucões Inteligentes