Radar online
Por Aldoir Nepomuceno
 
Governo que aprovar reforma da previdência até agosto, diz secretário
 
O secretário da Previdência Social do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano, disse no Recife, que o governo espera aprovar a reforma da Previdência até agosto, e no formato em que foi aprovada na comissão especial criada para tratar do tema na Câmara dos Deputados.

"Quem define a velocidade de tramitação e o conteúdo dessa matéria é o Congresso Nacional. O Congresso tem total autonomia. A perspectiva do Executivo é manter o plano da reforma tal qual foi aprovada na comissão especial, sem alterações e também na perspectiva de aprovação até agosto deste ano", afirmou. "O governo está confiante", acrescentou.

Caetano falou à imprensa depois de debate promovido pelo jornal Diário de Pernambuco sobre a reforma da Previdência. As declarações foram dadas em resposta ao questionamento da existência de clima político para aprovação da proposta, depois da delação dos empresários da JBS.

Há ainda um recesso parlamentar de 18 a 31 de julho, mas o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse ontem (15) que, caso a Procuradoria-Geral da República (PGR) decida denunciar Temer por causa da delação da JBS, a Casa pode suspender o período de descanso para dar prioridade ao pedido. O Supremo Tribunal Federal (STF) só pode investigar o presidente caso a Câmara vote nesse sentido.

Reforma em discussão

O debate contou ainda com o secretário especial do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, Arnaldo Barbosa de Lima Junior, e o economista e professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), André Magalhães, que defenderam a reforma, além do auditor da Receita Federal e professor de direito previdenciário Hugo Góes, que criticou o modelo proposto pelo governo federal.

A principal defesa dos representantes do governo é de que a reforma é necessária e urgente diante da diferença negativa entre o que é pago como contribuição à Previdência e o que ela paga de volta aos brasileiros. De acordo com o secretário Marcelo Caetano, em 2016 o chamado “rombo do INSS” chegou a R$ 150 bilhões. Por isso, segundo ele, seria preciso fazer as mudanças para garantir a possibilidade de existência do sistema a médio e longo prazo.

Para o professor Hugo Góes, o sistema de seguridade social inclui outras formas de financiamento além da constribuição previdenciária, como a Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e a Contribuição sobre o Lucro Líquido (CLL), e, por isso, ele é superavitário, ou seja, há dinheiro para pagar todas as despesas das aposentadorias e demais benefícios.

Conforme Góes, o problema é que o governo federal realiza o cálculo levando em conta apenas a receita da Previdência, ao contrário do que determina a Constituição Federal. Segundo ele, mesmo se o cálculo for feito do jeito apresentado pela União, o déficit poderia ser revertido com duas medidas: o fim de renúncias fiscais ligadas ao desconto no pagamento da contribuição do empregador à Previdência e a saída da aposentadoria rural do regime geral.

Marcelo Caetano respondeu que as duas questões constam da proposta de emenda à Constituição (PEC) 287/2016. O secretário informou que a contribuição rural do que está sendo exportado está sendo revista [uma modalidade de isenção]. Acrescentou que novas renúncias não podem ser criadas por meio de emenda constitucional, mas por desoneração de folha, iniciativas mais abrangentes apresentadas este ano".

(Agência Brasil)
Mais informações
 
Confinamento de bovinos cresce no estado
Temer diz que compreende reação contrária da indústria ao aumento de tributos
Temer afirma que não há previsão de novo aumento de impostos
Autuações da Receita por causa da Lava Jato somam R$ 12,8 bilhões
Governo mantém previsão de alta do PIB em 0,5%
Brasilprev comunica a Moro bloqueio de R$ 9 milhões de Lula
Prévia indica deflação de 0,18%, a menor taxa em quase 20 anos
Governo divulga aumento de alíquota do PIS/Cofins sobre combustíveis
Julgamento de Lula em segunda instância será menos polarizado, diz desembargador
Arrecadação cresce 3% em junho e 0,77% no acumulado do ano, diz Receita
Moro rebate defesa de Lula e faz comparação com Cunha no crime de lavagem de dinheiro
Receita recupera R$ 73,6 bi em impostos não pagos; R$ 4 bi vieram da Lava Jato
PIB tem aumento de 0,49% no trimestre encerrado em maio
Pressão das bases preocup Palácio do Planalto
Frio intenso avança e pode nevar no sul do Brasil
 
 
   
publicidade - anuncie
   


Joel Anzolin Muliterno
Advogado


Terezinha do Carmo
Pedagoga


Grieco Rodrigo Bossardi
Doutorado em Administração - Professor Universitário - Contador

Outros Colunistas (...)
Bonotto e Secretário de Obras e Viação visitam obras no bairro Alto Pedregal
No final da tarda da última sexta-feira (14), Bonotto visitou as obras da Rua Sargento Salvador Felício Bueno, no Bairro Alto Pedregal, juntamente com o Secretário Municipal de Obras e Viação, Admilso (...)
Recadastramento do cartão SUS é prorrogado
A Secretaria Municipal da Saúde iniciou no mês de julho o recadastramento do cartão sus, devido ao alto número de cartões emitidos comparados com o número real de habitantes do nosso município. Devid (...)
Lagoa Futsal vai jogar em Cerro Branco, dia 22
Depois da ótima vitória frente ao Parobé, jogando em casa, no Adolfo Stella, quando venceu pelo placar de 8 x 2, o Lagoa Futsal estará voltando a atuar fora de casa, desta vez em Cerro Branco. Vai enf (...)
Felipe Ubaldini assume presidência da ACISAU de São João da Urtiga
Na noite do dia 13 de julho de 2017, nova diretoria tomou posse da Associação Comercial de São João da Urtiga. A cerimônia ocorreu no Centro de Eventos Scalco com um jantar e palestra, e contou com a (...)
Vereadora Márcia solicita melhorias no trânsito do interior e da cidade
Na última Sessão Ordinária (11), antes do recesso parlamentar, a vereadora Márcia do Carmo (PSB), encaminhou à Câmara de Vereadores, duas solicitações que visam organizar o trânsito da cidade e do int (...)
 
  Página Inicial | Contato | Empresa | Lagoa Vermelha

Simples.net Solucões Inteligentes