Radar online
Por Aldoir Nepomuceno
 
Desigualdade de renda no Brasil não caiu entre 2001 e 2015, revela estudo
 
O crescimento da renda da população mais pobre no Brasil nos últimos 15 anos foi insuficiente para reduzir a desigualdade. Segundo estudo divulgado nesta semana pela equipe do economista Thomas Piketty, famoso por propor a taxação dos mais ricos para reduzir as disparidades na distribuição de renda, a maior parte do crescimento econômico neste século foi apropriada pelos 10% mais ricos da população.

De acordo com o estudo, conduzido pelo World Wealth and Income Database, instituto codirigido por Piketty, a fatia da renda nacional dessa parcela da população passou de 54,3% para 55,3% de 2001 a 2015. No mesmo período, a participação da renda dos 50% mais pobres também subiu 1 ponto percentual, passando de 11,3% para 12,3%. A renda nacional total cresceu 18,3% no período analisado, mas 60,7% desses ganhos foram apropriados pelos 10% mais ricos, contra 17,6% das camadas menos favorecidas.

A expansão foi feita à custa da faixa intermediária de 40% da população, cuja participação na renda nacional caiu de 34,4% para 32,4% de 2001 a 2015. De acordo com o estudo, a queda se deve ao fato de que essa camada da população não se beneficiou diretamente das políticas sociais e trabalhistas dos últimos anos nem pôde tirar proveito dos ganhos de capital (como lucros, dividendos, renda de imóveis e aplicações financeiras), restritos aos mais ricos.

“Ao capturar pouco ou nenhuma parte da distribuição da renda de capital e ao não capturar muitos dos frutos da política social diretamente, a faixa intermediária ‘espremida’ poderia ser um produto das elites que a quer botar em competição com a faixa inferior [de renda]”, destacou o estudo, assinado pelo economista Marc Morgan.

O estudo classificou a manutenção da desigualdade no Brasil como “chocante”, principalmente se comparada com outros países desenvolvidos. “É digno de nota que a renda média dos 90% mais pobres no Brasil é comparável à dos 20% mais pobres na França, o que apenas expressa a extensão da distorção na renda no Brasil e a falta de uma vasta classe média”, ressalta o levantamento. Em contrapartida, o 1% mais rico no Brasil ganha mais que o 1% mais rico no país europeu: US$ 541 mil aqui, contra US$ 450 mil a US$ 500 mil na França.

Metodologia

O levantamento exclui transferências de renda. Considerando o Bolsa Família e o Benefício de Prestação Continuada, a participação dos mais pobres teria encerrado 2015 em 14%, mas a evolução da renda dos 10% mais ricos permaneceria inalterada. No entanto, o salário mínimo, as aposentadorias e pensões e o seguro-desemprego estão incluídos no cálculo.

Segundo o World Wealth and Income Database, as transferências sociais foram retiradas do levantamento para facilitar a análise da estrutura da economia. Essa medida, conforme a equipe responsável pelo estudo, permite estimar quanto da renda nacional vem do capital e quanto vem do trabalho.

Para chegar à distribuição da renda nacional, os autores usaram dados da Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílios (PNAD) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que analisa o padrão de vida e a renda das famílias mais pobres. Os dados sobre a parcela mais rica da população vieram de informações sobre a Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física, enviados pela Receita Federal com a preservação do sigilo fiscal dos contribuintes.

Para acrescentar a participação do capital e as rendas não tributáveis, o estudo usou as Contas Econômicas Integradas, de 2000 a 2014, e as Contas Nacionais Trimestrais do IBGE de 2015. Juntando as três bases de dados, os economistas elaboraram a série histórica dos últimos 15 anos da renda nacional com a participação de cada faixa de renda da população.

Dividendos

A inclusão das contas do IBGE permitiu aos pesquisadores estimar os impactos sobre a economia da isenção de Imposto de Renda sobre lucros e dividendos, em vigor desde 1995. De acordo com o estudo, a desigualdade na renda do trabalho (de quem ganha salários) diminuiu de 2001 a 2015, mas esse efeito pode ser mascarado por profissionais autônomos que recorrem a instrumentos como participação nos lucros e distribuição de dividendos para pagarem menos impostos.

“Num contexto em que lucros distribuídos são isentos de Imposto de Renda, enquanto as rendas mais altas do trabalho são taxadas com a alíquota máxima de 27,5%, esse tipo de comportamento não pode ser descartado, especialmente como parece ser comum entre os brasileiros envolvidos em atividades autônomas”, destacou o estudo.

(Agência Brasil)
Mais informações
 
PIB cresceu 0,6% no trimestre encerrado em julho, mostra FGV
Dados do PIB mostram fim da recessão, diz pesquisador da FGV
Nova denúncia contra Temer gera tensão no Congresso mas base governista terá mais munição
Por recomandação médica Sartori deixa o Piratini por uma semana
Joesley diz a juiz que está preso porque "mexeu com poderosos"
Microempreendedor tem até 2 de outubro para parcelar débitos na Receita
Garantias individuais são violentadas diuturnamente, diz Presidência
Brasil deve colher 238 milhões de toneladas de grãos na safra 2016/17, diz Conab
Janot diz que não há mais como retroceder contra a corrupção
BC indica corte menor de juros e fim gradual do ciclo de reduções
Mercado financeiro aumenta projeção para o PIB e reduz para inflação
PF faz operação para recolher provas relacionadas à prisão de executivos da J&F
Reforma da previdência será votada em outu bro, diz Ministro
Geddel Vieira Lima é levado para presídio após prestar depoimento à PF
Desigualdade de renda no Brasil não caiu entre 2001 e 2015, revela estudo
 
 
   
publicidade - anuncie
   


Oscar Menna Barreto Grau
Médico Veterinário


Luciano Andrade


Terezinha do Carmo
Pedagoga

Outros Colunistas (...)
Desfile Farroupilha foi adiado para o dia 20 de setembro devido ao tempo chuvoso
As atividades em comemoração à Semana Farroupilha 2017 irão ocorrer até o dia 20 de setembro e, devido ao tempo chuvoso, o Desfile Farroupilha que aconteceria no próximo sábado (16) na Av. Afonso Pena (...)
Lagoa Futsal enfrenta o Figueira, neste sábado, 16
O ginásio Adolfo Stella mais uma vez será palco de importante partida válida pelo estadual Série Prata de Futsal. Na quadra, neste sábado, 16, a partir das 20 horas, o Lagoa Futsal enfrenta a equipe d (...)
Tempo chuvoso causa mudanças no cronograma da prefeitura
A Prefeitura Municipal informa que devido ao tempo chuvoso e à previsão de chuva que continua para o final de semana, haverá mudança no cronograma de trabalho e algumas ações que estavam previstas ser (...)
Programação da Semana Farroupilha desta sexta-feira acontecerá na Casa da Cultura
A programação em comemoração à Semana Farroupilha iniciou dia 13 de setembro e se prolongará até o dia 20 de setembro e, nesta sexta-feira (15), aconteceria o concurso “Tchê Voice” na (...)
Ibiraiaras: Campanha de multivacinação teve início
A Campanha de Vacinação iniciada neste dia 11 de setembro, segunda-feira, se estenderá até o dia 22 de setembro, sendo o dia D (sábado) dia 16. O objetivo desta campanha é resgatar as crianças e ado (...)
 
  Página Inicial | Contato | Empresa | Lagoa Vermelha

Simples.net Solucões Inteligentes