Radar online
Por Aldoir Nepomuceno
 
Inflação oficial pelo IPCA em 2017 é de 2,95%, a menor taxa desde 1998
 
O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação oficial do país, fechou em 2017 com alta acumulada de 2,95%, resultado 3,34 pontos percentuais inferior aos 6,29% de 2016. É o menor número desde a taxa de 1998 quando ficou em 1,65%.

Os dados foram divulgados hoje (10), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e indicam que, em dezembro, o IPCA fechou em 0,44%, ficando 0,16 ponto percentual acima do resultado de novembro (0,28%). Essa foi a maior variação mensal de 2017. Em 2016, o IPCA de dezembro atingiu 0,3%.

Índice abaixo da meta

A inflação de 2017 de 2,95% ficou abaixo do piso inferior da meta fixada pelo Comitê de Política Monetária (Copom), que era de 4,5% (com tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos).

Para 2017, o governo havia fixado uma meta inflacionária de 4,5%, com possibilidade de variação de 1,5% para cima ou para baixo, ou seja, entre 3% e 6%.

Em dezembro o IPCA fechou com alta de 0,44%, a maior variação mensal do ano e um resultado 0,16 ponto percentual acima do 0,28% de novembro. Em 2016, o IPCA fechou dezembro com alta de 0,3%.

Dos nove grupos que compõem o IPCA, o setor de Alimentação e Bebidas foi o que mais contribuiu para conter a inflação. Responsável por cerca de 25% das despesas das famílias, o grupo acusou queda acumulada (deflação) de 1,87%.

O resultado decorreu da redução de 4,85% no preço dos alimentos consumidos em casa, com destaque para as frutas (-16,52%), que tiveram o maior impacto negativo (-0,19 ponto percentual).

Segundo o gerente do Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor do IBGE, Fernando Gonçalves, a deflação dos alimentos foi consequência da produção agrícola, que teve uma safra cerca de 30% maior que a de 2016.

“Essa situação levou o consumidor a pagar mais barato (-1,87%) do que no ano anterior. É a primeira vez que o grupo apresenta deflação desde a implantação do Plano Real”, disse.

A alta do último mês do ano foi influenciada pela aceleração na taxa dos grupos Alimentação e Bebidas, que passou de uma deflação de 0,38% em novembro para 0,54%; e Transportes (de 0,52% para 1,23%).

Alimentação consumida em casa influencia índice

Segundo o IBGE, no grupo dos alimentos, após sete meses consecutivos de variação negativa, a mudança de -0,38% em novembro para 0,54% em dezembro ocorreu por conta da alimentação consumida em casa. Ela passou de -0,72% para 0,42%.

Já os principais impactos individuais no índice do mês, ambos de 0,09 ponto percentual, foram exercidos pelas passagens aéreas (alta de 22,28%), e pela gasolina (o preço do litro ficou, em média, 2,26% mais caro). Juntos, com impacto de 0,18 ponto percentual, esses dois itens representaram 41% do IPCA de dezembro.

Eles também foram os principais responsáveis para que o grupo Transportes (1,23%) apresentasse a maior alta no mês, considerando-se, ainda, o aumento de 4,37% do etanol, com impacto de 0,04 ponto percentual.

Três grupos são responsáveis pela queda da inflação

Se os alimentos contribuíram para reduzir a inflação de 2017, principalmente em razão da safra recorde, outros três segmentos – Habitação (6,26%), Saúde e Cuidados Pessoais (6,52%) e Transportes (4,1%)) - foram os grupos que mais influenciaram positivamente o índice, com contribuição de 2,45 pontos percentuais para a alta do IPCA/2017, que fechou o ano em 2,95%.

Segundo o IBGE, no grupo Habitação, as principais influências da alta vieram de produtos como o gás de botijão, que subiu 16%, taxa de água e esgoto (10,52%) e energia elétrica (10,35%).

Para o gerente do Sistema Nacional de Índices de Preços ao Consumidor do IBGE, Fernando Gonçalves, essa situação pode ser explicada, em parte, pelo reajuste de 84,31% nas refinarias, “que contribuiu para o aumento no preço do gás de cozinha vendido em botijões de 13kg”.

Já a gasolina, com alta de 10,32%, foi o produto que mais subiu no grupo Transportes. Além do reajuste nos tributos (Programa de Integração Social/ Contribuição para Financiamento da Seguridade Social - PIS/Cofins), foram concedidos 115 reajustes nos preços, com um aumento acumulado de 25,49% somente entre 3 julho a 28 de dezembro do ano passado.

Segundo o IBGE, “essa variação [que faz parte da nova política de preços da Petrobras] objetiva acompanhar a taxa de câmbio e as cotações internacionais de petróleo e derivados”.

A variação nos preços de Saúde e Cuidados Pessoais foi influenciada pelo aumento nas mensalidades dos planos, que ficaram 13,53% mais caros, e dos remédios (4,44%). “O resultado deve-se ao reajuste concedido pela Agência Nacional de Saúde (ANS), de até 13,55% para os planos de saúde, e pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos, de até 4,76%”, informou o IBGE.

Inflação por regiões

Das treze regiões envolvidas na pesquisa do IPCA, sete encerraram 2017 com taxas de inflação menores que a média nacional de 2,95%. As duas maiores altas ocorreram em Goiânia e Brasília, ambas com variação inflacionária de 3,76% - resultado 0,81 ponto percentual acima da variação média nacional.

Em São Paulo, a taxa subiu 3,63%, em Curitiba, 2,42%, em Recife, 3,31% e no Rio de Janeiro, 3,03%.

Já entre as sete regiões com resultados abaixo dos 2,95% da média nacional se destacam Belém, que, com a alta de 1,14%, teve o menor IPCA do país; Belo Horizonte (2,03%) e Campo Grande (2,11%).

O IPCA é calculado pelo IBGE desde 1980, abrange famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos e envolve dez regiões metropolitanas, além de Goiânia, Campo Grande e de Brasília.

(Agência Brasil)
Mais informações
 
Presidente da Câmara defende votação da PEC sobre prisão de condenados em segunda instância
Presidente da Câmara defende votação da PEC sobre prisão de condenados em segunda instância
Lula pediu para receber visitas da família às quintas-feiras
Inflação fica em 0,09% em março, a menor taxa para o mês desde 1994
Temer e Cármen Lúcia discutem segurança pública e intervenção no Rio
Justiça Federal manda soltar Joesley Batista
Defesa do prefeito de Bom Jesus vai recorrer da decisão do TRE de cassação do mandato
Inflação oficial tem a menor taxa para fevereiro desde 2000
Brasileiros com nome em cadastro de devedores chegam a 40,5% da população
Delfim Netto é alvo da 49ª fase da Operação Lava Jato
Ministro do STJ nega prisão domiciliar a deputado Paulo Maluf
Olívio Dutra alerta para risco de eleição não acontecer em 2018
Juros do cheque especial sobem para 324,7% ao ano
Temer: transferência da PF para Ministério da Segurança não interrompe Lava Jato
Jungmann vai chefiar novo Ministério da Segurança Pública
 
 
   
publicidade - anuncie
   


José Antônio de Andrade
joseantonio@somarimoveis.com


Leodário Schuster
Empresário


Mariluci Melo Ferreira

Outros Colunistas (...)
Capão Bonito do Sul sediou 2º Seminário Regional sobre Pecuária de Corte
Pensando em trazer algo inovador para os pecuaristas do município e região durante a programação da Semana do Município de Capão Bonito do Sul, a secretaria da Agricultura em parceria com a Emater/RS- (...)
Ibiraiaras/Caseiros: Acidente causa uma morte e deixa três feridos
Por volta de 5h30min da madrugada deste sábado, no km 57 da ERS 126, entre os municípios de Caseiros e Ibiraiaras, um acidente de trânsito deixou uma vítima fatal e três pessoas feridas. Segundo o (...)
Em andamento, Copa ABAMF de Integração de Esportes
Em sua 20ª edição, neste sábado, teve início a vigésima edição da Copa ABAMF de Integração de Esportes. Várias modalidades esportivas estão sendo disputadas e algumas premiações já foram entregues n (...)
Ponte sobre o Rio Bernardo José é inaugurada
Depois de 25 anos de espera, a ponte sobre o Rio Bernardo José, no limite entre os municípios de Capão Bonito do Sul e Esmeralda é inaugurada nesta sexta-feira, 20. O ato contou com a presença do pref (...)
Associação Amigos da Casa da Cultura realiza Reunião Ordinária
Na próxima terça-feira, dia 24, a diretoria da Associação Amigos da Casa da Cultura de Lagoa Vermelha, convoca seus membros fundadores, associados e apoiadores para Reunião Ordinária. A reunião tra (...)
 
  Página Inicial | Contato | Empresa | Lagoa Vermelha

Simples.net Solucões Inteligentes